O MIS ABRE AS PORTAS PARA A CAPOEIRA COM DEPOIMENTOS INÉDITOS DE MESTRES DO RIO DE JANEIRO

  • 24/02/2023

O MIS ABRE AS PORTAS PARA A CAPOEIRA COM DEPOIMENTOS INÉDITOS DE MESTRES DO RIO DE JANEIRO

Segunda (27/2), o Museu da Imagem e do Som inicia a Série Especial “Memória da Capoeira”, na sede Praça XV, contando a trajetória de quatro gerações de Mestres e Mestras capoeiristas do Rio de Janeiro e suas atuações na cultura.

Para o presidente do MIS RJ, Cesar Miranda Ribeiro, “é muito importante a celebração dessa expressão artística brasileira, que será salvaguardada no acervo da nossa instituição como forma de preservar rico material sobre os mestres capoeiristas para as próximas gerações”.

O primeiro depoente será Mestre Roque Mendes dos Santos, baiano, nascido em 1938, que se iniciou na capoeira aos oito anos de idade, em Salvador, tendo como mestre Cobrinha Verde, amigo de seu pai, Chico Preto, peixeiro do Mercado Modelo e também capoeirista. O aprendizado foi intenso e o adolescente, com apenas 13 anos, já era conhecido como Mestre. A chegada ao Rio de Janeiro, em 1956, como marinheiro, foi um divisor de águas na vida do jovem Roque. Sua atuação como Mestre contribuiu para desmistificar a capoeira em um período em que era criminalizada. Mestre Roque foi o fundador de uma das linhagens da capoeira carioca contemporânea, ensinando gerações de capoeiristas da Comunidade Pavão-Pavãozinho, Zona Sul do Rio.

Em 2014, a Roda de Capoeira foi reconhecida pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Marco importante de reconhecimento mundial de um dos símbolos do Brasil que expressa a história da resistência negra no país, durante e após a escravidão.

Mestre Roque terá ao seu lado, como convidados entrevistadores, seu discípulo e aluno mais antigo, Mestre Derly, e Mestre Paulão Kikongo, jornalista, pesquisador e mestre em patrimônio, cultura e sociedade pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ). A gravação com a presença de amigos convidados não será aberta ao público.

Sobre a Série Especial Memória da Capoeira

A Série Especial Memória da Capoeira vai registrar dez depoimentos de personalidades capoeiristas que atuam no Rio de Janeiro desde 1940, e consistirá em uma salvaguarda inédita para um museu.

Em 1966, o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro inaugurou o projeto Depoimentos para a Posteridade, inédito programa de história oral criado para preservar a memória de diversos setores da cultura nacional. Esse projeto inicial é o gerador de muitas outras séries, programas ou projetos específicos relacionados às áreas de esportes, jornalismo, futebol, carnaval, arquitetura, dança, MPB, cinema, teatro, rádio, artes plásticas, dentre os quais, A Voz do Povo Santo; Cem Anos de Abolição; Bandas Centenárias; Clube de Regatas Flamengo; Memórias das Vozes da Resistência, do Povo da Dança no Samba, da Telenovela Brasileira, da Cinédia e do Jornalismo Brasileiro.

Lembramos que a gravação fica à disposição do público, nas salas de consultas do MIS, 72 horas depois do término dos depoimentos.

O MIS RJ é um equipamento vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (SECEC RJ).

Publicado em 24/2/23 por Márcia Benazzi


#Compartilhe

Aplicativos


Programa no Ar

Pérolas do MIS

top1
1. Festival Silvio Caldas

Propaganda

top2
2. Chicle de Bola Ping Pong

Propaganda

top3
3. Sonrisal

Propaganda

top4
4. Melhoral

Propaganda

top5
5. Leite de Magnésia

Propaganda

Oferecimento