Prato de João da Baiana retorna ao MIS RJ após período de exposição do IMS em São Paulo

  • 10/05/2024

Prato de João da Baiana retorna ao MIS RJ após período de exposição do IMS em São Paulo

O prato do João da Baiana, item que faz parte do acervo do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, está de volta ao seu ponto de origem. O objeto ficou exposto durante seis meses (de outubro de 2023 e abril de 2024) na mostra "Rio de Janeiro: Pequenas Áfricas", do Instituto Moreira Salles (IMS). O transporte de São Paulo para a capital fluminense foi acompanhado pelas instituições e a devolução ocorreu na última segunda-feira (06/05).

A peça, que foi pintada por João da Baiana e pertence à Coleção Almirante, está entre os itens mais valiosos do setor tridimensional do MIS RJ. Ela foi “emprestada” temporariamente ao IMS por meio de um “Termo de Cessão de Uso não Onerosa”. Como retribuição pelo ato, o Instituto Moreira Salles também cedeu 29 molduras e todas as reproduções impressas das imagens cedidas pelo MIS para a exposição.

O procedimento de entrega e recebimento dos itens foi supervisionado pela Diretora Técnica Operacional do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, Lucila Fritz Majella. As responsáveis por verificar a atestar o bom estado do prato do João da Baiana no momento da entrega foram as museólogas Eliane Vilela, do MIS, e Jéssica M. Silva, do IMS. Para o presidente do museu, Cesar Miranda Ribeiro, a cessão temporária do item é uma forma de difundir ainda mais a história das grandes personalidades fluminenses.

“É uma satisfação saber que centenas de pessoas tiveram acesso a história desse personagem tão essencial para a nossa cultura por meio desse objeto. Ficamos felizes em fazer parte disso e também em receber de volta essa relíquia. Sabemos que todo o processo seguiu os rigorosos padrões de preservação e agora o prato de João da Baiana está de volta ao MIS”, afirmou Cesar Miranda.

O Museu da Imagem e do Som salvaguarda quase 400 itens relacionados ao artista, entre fotografias, partituras, músicas e textos, além do seu testemunho eternizado na série “Depoimento para a Posteridade”. O cantor, compositor e pandeirista João da Baiana foi o primeiro entrevistado do projeto, em 24 de agosto de 1966. Ele nasceu em 1887, filho da baiana Tia Perciliana, nome importante no surgimento do samba.

Todo o acervo do museu, que integra a rede de equipamentos culturais do Governo do Estado e é vinculado à Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (Secec-RJ), está à disposição do público e dos pesquisadores. Para acessar o material basta enviar e-mail para saladepesquisa@mis.rj.gov.br e agendar uma visita ao Centro de Pesquisa e Documentação Ricardo Cravo Albin.

Publicado em 10/5/2024 por Fernanda Soares


#Compartilhe

Aplicativos


Programa no Ar

Pérolas do MIS

top1
1. Sofre Porque Queres

Benedicto Lacerda e Pixinguinha

top2
2. Noites Cariocas

Jacob do Bandolim

top3
3. A Flor Amorosa

Altamiro Carrilho (Antonio Callado Jr.)

top4
4. Camundongo

Waldir Azevedo e Ademilde Fonseca

top5
5. Odeon

Nara Leao (Ernesto Nazareth e Vinicius de Moraes)

Oferecimento